Transplante de Órgãos: Uma Nova Chance

Jornal da Globo 21/04/2004

O hospital de uma universidade pública de São Paulo é o campeão mundial de transplantes renais. Só no primeiro trimestre, 155 pessoas ganharam uma nova oportunidade de vida.

Até bem pouco tempo atrás Teo não conseguia nem brincar. Era um garoto triste, de poucas palavras. Consequência de uma infância vivida praticamente dentro do hospital.

Ele nasceu com uma síndrome que degenera os rins, mas agora, depois do transplante, Teo é outro. Como toda criança, cheio de vontades. “De bicicleta, jogar meu vídeo game, e ir pra casa pra comer, é tudo”, diz ele.

Jaqueline também recebeu um novo rim. O transplante deu certo, mas ela ainda vai ficar pelo menos dois meses no hospital. Precisa ganhar peso, se desenvolver. A luta para vencer a própria doença já definiu caminhos na vida da menina de apenas 12 anos. “Eu quero ser médica pra cuidar das crianças”, afirma Jaqueline.

Jaqueline e Teo foram operados em um centro médico especializado, em São Paulo. Nenhum outro hospital do mundo realiza tantos transplantes de rim. Em 2003, foram 490 e só nos três primeiros meses deste ano 155 pessoas encontraram vida nestes corredores.

Por isso, o hospital criou uma Central de Atendimento 24 horas para receber doações de órgãos de pessoas vivas ou com morte cerebral.

A fila de espera é enorme: 30 mil pessoas em todo o país. Dez mil, só em São Paulo. “Se nós tivermos todos os órgãos de doadores após a morte suficientes para atender todos os transplantes necessários nós não precisaríamos usar transplante com doador vivo”, afirma o médico José Medina...

Doadores anônimos já salvaram Antonio duas vezes. O primeiro transplante foi feito quando ele já não tinha mais forças para suportar as longas e doloridas sessões de hemodiálise. Antonio ficou bem por quase dez anos só que agora o rim precisou ser trocado novamente. A recuperação ainda vai demorar alguns meses, mas ele não tem dúvida de que vai vencer mais essa batalha.

“Eu sou uma pessoa mais forte porque todas essas experiências de vida me fortaleceram e me deixaram mais forte. O medo foi embora”, diz Antonio.

Fechar

Endereço: Rua Marechal Deodoro, 460, Encruzilhada, Recife/PE - CEP 52030-170